Os Animais não são Palhaços

A razão pela qual a mudança se inicia a partir de cada um de nós:

É o consumidor quem decide onde gastar o seu dinheiro quando entra no supermercado, escolhendo comprar um determinado produto e não outro. Da mesma forma, é também o consumidor que decide qual espectáculo quer financiar. Se uma ida ao teatro, a um concerto ou a um circo.
Em Portugal, a legislação não proíbe a utilização de animais não humanos em espectáculos como o circo. Assim, durante o período natalício, é comum a existência destes chamados espectáculos, onde animais não humanos são forçados a agir de forma não natural, submetidos por humanos através de actos física e psicologicamente violentos. São escravizados e explorados durante toda a sua vida.
Ora, se é o consumidor (a procura) que define a oferta, o nosso apelo vai no sentido de que não financie circos que utilizem animais não humanos. Em qualquer que seja a circunstância, pense que a sua ida está a contribuir para a perpetuação do sofrimento destes animais.
O primeiro grande passo é a escolha de não financiar estes circos.

lion